Delegado da Polícia Federal dá detalhes sobre prisão de jovens de Caratinga e Coronel Fabriciano flagrados com droga em Porto Alegre (RS) ~ Plantão Policial
Nossa Pagina no Facebook

Delegado da Polícia Federal dá detalhes sobre prisão de jovens de Caratinga e Coronel Fabriciano flagrados com droga em Porto Alegre (RS)



Os dois jovens de Minas Gerais presos em flagrante com quase 15 quilos de haxixe nesta última quarta-feira (17/04), no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, estão recolhidos na Cadeia Pública da capital daquele estado à disposição da Justiça Federal.

Nesta tarde de segunda-feira (22), o jornalismo do Super Canal conversou com o delegado da Polícia Federal, José Antônio Dornelles de Oliveira, que deu detalhes sobre a prisão dos suspeitos. Thailon Brás, de 24 anos, natural de Caratinga, e Samuel Santos, de 19, natural de Coronel Fabriciano,haviam acabado de desembarcar de Barcelona, na Espanha, quando foram flagrados em uma ação integrada entre a Polícia Federal e a Receita Federal. 

Foram apreendidos 14,8 kg de haxixe. A droga estava dentro de malas que acusaram a presença de matéria orgânica ao serem submetidas ao raio-x. Um cão farejador também indicou a presença da droga. Os suspeitos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Federal de Porto Alegre e autuados por tráfico internacional de drogas e a pena pode chegar a 15 anos de prisão. “Há uma operação permanente de interdição de drogas nos aeroportos. Esse é um programa que a Polícia Federal desenvolve em todos os aeroportos para combater o tráfico de drogas. Nesse caso, é um voo originado na Europa, saíram de Barcelona, na Espanha, e fizeram uma escala em Lisboa, em Portugal. Nós temos um voo direto de Lisboa a Porto Alegre. No desembarque internacional, nós estamos lá em conjunto, é uma área tanto da Polícia Federal na parte de imigração, como da Receita Federal com as atribuições aduaneiras. Então, são separadas as pessoas ali para questão aduaneira, canal verde, que tem a declarar ou não. A gente faz uma seleção e começa a observar as pessoas quanto ao seu comportamento. Nós operamos também junto com a Receita Federal, a Polícia Federal detém de um time de cães e eles também. Eventualmente, como eles não operam no embarque, nós centralizamos mais os cães da Polícia Federal no embarque e no porão da aeronave que está partindo. E, eles operam no desembarque que é a atribuição mais específica deles. Nesse caso, o cão já tinha sinalizado na bagagem, que estava na esteira, então, aguardamos essa pessoa passar – ela estava acompanhada de outro rapaz – passamos no raio-x e verificamos que tinha uma quantidade grande de orgânicos com semelhança ou característica de ‘blocos’ , o que nos leva a suspeita, foram abertas as malas e encontramos ali, até de uma forma bem arcaica, o haxixe”, detalhou o delegado de Polícia Federal. 

De acordo com o delegado da Polícia Federal, em um primeiro momento, um deles, o primeiro a ser abordado, assumiu a posse da droga. “Dizendo que frequentava um bar em Barcelona, quando foi abordado por uma pessoa, que ele não sabe dizer quem é. Essa pessoa teria proposto um negócio para ele e alegou que estava em situação financeira ruim. De pronto, entendemos que não, porque ele estava há mais de 30 dias na Europa, passeando e circulando por vários países. Como história, dentro da investigação já não faz muito sentido. Porque quem tem dinheiro não vai para a Europa passear e fazer isso aí. Então, nós acreditamos que eles foram efetivamente para fazer isso. Receberam uma proposta e vieram até Porto Alegre porque por questões de passagem, vamos dizer que o contratante do transporte de drogas efetuou para eles, pois, compraram isso em ‘cash’, e daqui posteriormente iriam entregar a droga no Rio de Janeiro. Só que ele fala que não sabe para quem. A pessoa que ficou com o telefone dele, ligaria coordenando essa entrega da droga. Perguntamos também quanto ele receberia, mas diz que não tratou com a pessoa. Obviamente, as chamadas ‘mulas’, os transportadores, aqueles que, geralmente não têm antecedentes criminais, e acreditam que vão ganhar um dinheiro fácil e que não serão presos. A gente vê, sendo a maioria jovem, este ano, já tivemos quatro apreensões aqui, todos jovens, idades entre 21 e 24”, disse José Antônio. 

O inquérito policial vai para a Delegacia de Repressão a Entorpecentes que prosseguirá com as investigações.

TV Super Canal de Caratinga - parceiro do Plantão Policial 











Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário