PM desvenda motivação de atentado que vitimou menor em Fabriciano ~ Plantão Policial
Nossa Pagina no Facebook

PM desvenda motivação de atentado que vitimou menor em Fabriciano

CORONEL FABRICIANO - No Sábado passado por volta de 18h , indivíduos armados tentaram matar um adolescente de 17 anos na rua Atlético bairro Mangueiras, em Coronel Fabriciano. Na ocasião o menor foi atingido por pelo menos nove dos disparos sendo socorrido pelos familiares até o hospital e policiais que atenderam a ocorrência não conseguiram muitas informações, haja vista que os autores se esconderam no meio de um matagal. Durante os últimos dois dias de investigações o serviço de inteligência do 58º BPM recebeu informações a respeito da motivação do crime que no dia 16/06/2017 a vítima, na companhia de dois amigos, teriam procurado um traficante para aquisição de droga e foram até o local onde a droga estava escondida, desenterraram a quantidade solicitada pela vítima que em companhia dos seus amigos um armado ameaçaram de morte os traficantes e roubaram a droga que seria de um chefe do trafico conhecido por Roberto, vulgo "Da Lua", que embora se encontra recolhido no sistema prisional continua a coordenar o tráfico de drogas no bairro Mangueiras e quem gerência a mercância do entorpecente e a irmã de "Da Lua", Luciana dos Santos Silva, 29 anos e os envolvidos rendidos são responsáveis em guardar e distribuir a droga. Após o roubo da mesma Luciana informou ao irmão "Da Lua" que pediu apoio a um traficante do bairro Santa Cruz que também se encontra recolhido no mesmo presidio, solicitando soldados do tráfico para matar o adolescente e seus amigos, no dia da tentativa de homicídio, cerca de cinco indivíduos estiveram no local para vingar o roubo da droga. Os militares foram até ao hospital e em parlamentação com a vítima, disse também que quando foi alvejado estava na companhia de um amigo e o mesmo só não foi atingido pelos disparos, pois ao perceber que tratava-se de uma tocaia o mesmo fugiu. O infrator ainda revelou que a droga, roubada estaria enterrada no meio de um matagal próximo a sua casa; sendo localizadas cinco barras de maconha enterradas. A equipe policial foi até a residência de Luciana e efetuou sua prisão, um dos envolvidos no atentado ao perceber a presença dos militares fugiu. A Luciana negou qualquer participação. O menor não foi apreendido, uma vez que o mesmo se encontra hospitalizado em razão dos disparos recebidos e ter que passar por cirurgias.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário